Liberdade · Igualdade · Fraternidade
Soberano Capítulo
Renascença
nº 01
Membro do Grande Capítulo Geral do Brasil
Ordens de Sabedoria do Rito Francês
Liberdade Absoluta de Consciência
Saiba mais sobre nós lendo nossa Declaração de Princípios.
Liberdade Absoluta de Consciência
Igualdade de Gênero
Por Ir:. Mario Jockymann *
No surgimento da Maçonaria, em sua época operativa, é de conhecimento popular que apenas homens faziam parte das guildas de construtores, porém de acordo com manuscritos antigos, principalmente o Manuscrito de York, não era bem assim. Neste Manuscrito está escrita a palavra "ILLA" que significa "ela", mas é dado como "erro de tradução" pelos não defensores da mulher na Maçonaria, alegando que na realidade eles queriam ter escrito "ILLI" que significa "eles". Esse ponto de vista errado é a justificativa moderna para a não aceitação das mulheres nas Lojas de cultura inglesa. Mesmo após a mudança para o período especulativo, onde tivemos a real transformação da Maçonaria para uma ordem filosófica com os Rosa-Cruzes ingressando em suas fileiras, a Maçonaria inglesa continuou negando o ingresso das mulheres. Essa atitude foi um dos, senão o maior erro da Maçonaria do século XVIII. Também é sabido que muitas foram as mulheres da alta sociedade iniciadas por estes Irmãos que possuíam uma visão de mundo muito superior.

Temos grandes nomes na história da Maçonaria especulativa que eram mulheres, dentre eles podemos destacar Elizabeth Aldworth que foi iniciada na Loja de seu pai após perceberem que ela tinha visto uma sessão que foi realizada na sala de sua casa, fato ocorrido no século XVIII, conforme documentação. Essa foi a maneira de "manterem o segredo" da Ordem. Também podemos destacar a Irmã Maria Adelaide Desraimes que foi, sem dúvida, uma grande defensora dos direitos da mulheres. Na França, enquanto a Igreja Católica perseguia os Maçons, tendo inclusive sido proferido um discurso na Catedral de Notre-Dame pelo padre Loison no qual ele afirmava que os Maçons deveriam ser dizimados, o Grande Oriente conseguiu uma maneira de defender-se promovendo palestras públicas, muitas delas realizadas por nossa Irmã.

Apenas em 1882 ela foi iniciada e proferiu um discurso no qual afirmava que as portas não se fechariam atrás dela e que muitas ainda viriam. Esta iniciação teve um impacto muito profundo na Maçonaria mundial, pois se a Irmã Elizabeth foi iniciada apenas para guardar o segredo, nossa Irmã Maria foi iniciada por seu merecimento. Realmente muitas vieram depois e com elas veio o surgimento da Maçonaria Mista e da Feminina.

A tentativa mais significativa em começarem a aceitar a presença da mulher em Loja foi a criação, em 1774, das Lojas de Adoção em Paris pelo Grande Oriente da França. Lógico que para um primeiro movimento era muito limitado, pois as mulheres não possuíam nenhuma autonomia e eram dirigidas pela Loja que a tinha "adotado". Graças à este movimento surgem Lojas Mistas em 1786 sob a alegação de Cagliostro de que as mulheres participavam dos "mistérios antigos do Egito".

Outra forma de contentar as mulheres (principalmente as esposas) foi a criação da Ordem da Estrela do Oriente. Esta tem como função principal estreitar os laços entre os parentes de Maçons, já que são admitidos tanto homens quanto mulheres desde que possuam algum parentesco. Também tem por função dar suporte à Ordem das Filhas de Jó e Ordem do Arco-íris para meninas.

Destas tentativas apenas a Ordem da Estrela do Oriente mantêm-se ativa, já que o Rito de Adoção deu lugar à Lojas Femininas e Mistas.

Analisando os motivos que fazem com que as mulheres ainda sejam rechaçadas dentro da Maçonaria de influência Inglesa, podemos afirmar que suas justificativas se sustentam no argumento dos antigos Landmarks ou em argumentos esotéricos, ou ainda em ambos.

Quanto ao argumento dos Landmarks são sempre citados os de Mackey, principalmente o de número dezoito que diz: "Qualifications of a candidate: that he shall be a man, unmultilated, free born, and of mature age". ou seja: ele deve ser homem, sem mutilações, nascido livre e de idade madura. Outro Landmark que sempre é citado é o vinte e cinco que diz que nenhum dos anteriores poderá ser alterado (uma medida um tanto quanto autoritária porém compreensiva para a época).

Os argumentos esotéricos são inúmeros, todos tão estapafúrdios quanto cheios de superstição, deixando transparecer o mesmo medo dos piratas da literatura que não podiam embarcar com mulheres. Estes são os argumentos que põe por terra qualquer discurso contra a superstição que tanto combatemos, pois fere a liberdade de crença ao nivelar à todos pelos medos de uns poucos fanáticos.

Após tantas batalhas sociais que vimos nos últimos tempos, principalmente nas últimas décadas, pelos direitos das mulheres é inaceitável manter um comportamento preconceituoso amparado em Landmarks que não são únicos, afinal Mackey não é unanimidade. Também não podemos viver na Idade Média e acreditar em superstições baratas, fazendo quase uma caça às bruxas quando vimos uma mulher de avental.

Honestamente não consigo compreender porque uma mulher de avental assusta tanto alguns Irmãos. É uma ideia muito comum em "livres-pensadores" maçônicos que apelam à "leis" criadas numa época atrasada e tão retrógrada quanto o sistema monarquista inglês que idolatram, sendo que até a Inglaterra tem rainha, mas mulher Maçom é uma aberração.

O princípio de Liberdade Absoluta de Consciência não pode ser concebido em uma falsa liberdade que não permite seres humanos participarem de uma reunião Maçônica por causa de seu gênero. Se não aceitam por tradição de sua Obediência, tudo bem. Mas que o argumento jamais seja construído em cima de superstições e de leis que não se aplicam à todos.

Me pergunto se um dos motivos dos defensores ferrenhos do Mackey não seria perder o dia da semana com os amigos longe de suas esposas, ou ainda, se não seria o medo de vermos uma mulher em Loja oferecendo uma instrução muito mais refinada do que as que vemos por aí, proferidas por intérpretes dos Irmãos Rizzardo Da Camino e Jules Boucher, pois apesar de serem grandes autores, dificilmente vemos uma prancha baseada em seus pensamentos, mas vemos muitos interpretarem seus textos como uma leitura de peça teatral, repetindo cada vírgula e cada ponto do que não entenderam.

É necessária uma mudança, principalmente em termos de Brasil, afinal não esqueçamos que para os ingleses tão idolatrados também somos apenas o resto. Devemos lembrar que a Maçonaria brasileira foi constituída sobre os princípios liberais franceses, mesmo que hoje sejam tão renegados.

* Vª Ordem e Grande Comandante do Soberano Capítulo Renascença (Gestão 2015)

Confira também
© 2017 - Soberano Capítulo Renascença nº01
LIBERTAS